Vênus e a Medicina do Céu

Vênus em Gêmeos - os aprendizados deste tempo na forma da pandemia. dia de Vênus - deusa do amor com os atributos de Harmonia e Beleza da Divindade. Vênus está em Gêmeos e fica neste signo até agosto de 2020. Esta é uma condição cíclica que acontece a cada 8 anos. Vênus ilumina no pôr do Sol a constelação de Taurus, onde se encontra o signo de Gêmeos:

Vênus acaba de entrar na sua Zona de Retrogradação: ficará em Gêmeos até o dia 8 de agosto. Normalmente Vênus "passa batido" por cada signo, coisa de um mês e poucos dias, pois tem o passo muito parecido com o passo do Sol. Porém, cada vez que Vênus se aproxima da Terra, e isto ocorre uma vez a cada 584 dias, quando passa de sua fase vespertina para a sua fase matutina, o planeta se demora por ali um tempo, que pode chegar a 5 meses em um mesmo signo, e isto é bastante significativo e tem múltiplas implicações simbólicas. A primeira delas é que evidencia as qualidades do signo onde faz a retrogradação e assuntos ligados à natureza primordial daquele seu elemento.

Pois Vênus, desde 3 de abril, se encontra em Gêmeos, signo de AR, e cada 8 oito anos faz sua incursão de aproximação da Terra pelo signo dos "Irmãozinhos Cósmicos": Castor e Pólux, as crianças do Zodíaco. Um mortal e outro imortal, nossa, como isso faz sentido!

São muitas relações evidentes entre as ocorrências atuais pelo mundo afora com as qualidades do signo de Gêmeos.

Signo de ar mutável corresponde à última etapa da primavera no hemisfério norte, indicando a chegada à estação do Solstício, onde o Sol pára sobre o Trópico de Câncer para começar a retornar na eclíptica em direção ao Equador.

Pólens da Primavera. O espírito juvenil exploratório na natureza humana que habita toda criança, quer se manifestar, quer conhecer o mundo além dos muros da casa, além dos quintais e jardins. Parece correr nas veias desse tempo um poderoso campo gerador de impulsos para a grande aventura da vida, de descobertas e de novos aprendizados. Pois é essa fase da vida, de quase saída das fraldas à meninice da pré-adolescência que está relacionada a Gêmeos.

Quantos desafios de novos aprendizados todos estão sendo levados a viver, em tão pouco tempo, neste momento que o planeta atravessa, seja por força das circunstâncias, seja por automotivação e vontade própria!?

Há muitas relações se pode fazer entre a pandemia do novo Coronavírus e o signo de Gêmeos – algumas são literais e tão óbvias que até passam despercebidas:

- a primeira coisa que chama a atenção é a convergência do pico de contágio da doença, transmitida pelo contato, no mundo todo, justamente para o período em que Vênus transita pela sua Zona de retrogradação em Gêmeos (entre abril e julho de 2020).

Gêmeos é um signo de contato. Rege os órgãos do corpo que fazem contato, as mãos, os braços, vias respiratórias e principalmente os pulmões. Os pulmões fazem o contato através da respiração, do mundo interior com o mundo exterior. É um órgão de sensibilidade que estabelece a conexão com o que nos mantém vivos. Absorve fontes puras de energia, de oxigênio, vitalidade e saúde, e elimina o que não presta, que é tóxico, nocivo para o sistema. Assim faz a troca, respira. Podemos ficar muitos dias sem beber, sem comer, mas alguns minutos sem respirar bastam para encontrar o fim da vida. A respiração é o elo com a vida. Signo do elemento Ar, se relaciona com a velocidade de propagação exponencial e multiplicadora do vírus pelo ar (daí a importância das máscaras), pela tosse, pela fala, pelos espirros. além do toque das mãos, ou pelo contato (evitar abraçar e apertar as mãos, lavar bem as mãos e todas as coisas).


Gêmeos é representado pelo algarismo romano - o número 2 = II . Pode-se dizer assim: “se eu tenho uma informação e você tem outra, quando a gente troca, cada um fica com duas” . Desse modo, Gêmeos é agente multiplicador e polinizador de ideias, fatos e trocas, todo tipo de trocas. Uma analogia muito usada entre o signo e todo tipo de seres livres, leves e alados: abelhas, borboletas, libélulas, vaga-lumes, pequenos pássaros como beija-flores que pousam numa flor e logo em seguida em outra, e mais outra, e assim se tornam multiplicadores, polinizadores, espalham pólens, são os agentes de contágio no ambiente imediato. Uma plantação onde há abelhas, borboletas e beija flores produz muito mais frutos. Mas também há os pardais barulhentos em algazarra, que voam em bando, carregam e espalham pulgas e pragas, além de pequenos seres alados como moscas e mosquitos, e insetos, como por exemplo os gafanhotos que vorazmente devoram em pouco tempo lavouras inteiras, tal qual as traças que devoram os livros, os cupins que penetram na madeira, as formigas que aparam as folhas das laranjeiras. numa enorme velocidade de propagação, em alta frequência, como as informações que propagam as ondas eletromagnéticas que circundam o planeta Terra.

Como os pólens da primavera da vida – este signo representa a última fase da infância, da curiosidade e interesse por tudo ou quase tudo que se encontra ao redor. É quando a rede de neurônios criada desde a gestação já está formada, pela explosão e plena produção de bilhões de novas sinapses (sinapse é a conexão entre duas células que as permitem comunicarem-se entre si) entra em colapso, e os neurônios, perdidos não podem mais ser regenerados, sua configuração mental está praticamente formada. O contato com o meio e desse modo, as novas sinapses são feitas e interferem diretamente no processo de aprendizado e padrão de comportamento. Os neurônios param de se multiplicar com a chegada dos hormônios da adolescência. Ampliam-se as sinapses-trocas com o seu ambiente e a cotidianidade; Gêmeos é a ponte para o amadurecimento, a saída da ingenuidade infantil, para a chegada do verão (os signos em sua origem se referem ao ciclo das estações no hemisfério norte). A partir daí, o clima vai mudar, a relação com o meio à volta também muda. Aos poucos se amplia a consciência da relação com o meio ambiente e o discernimento adequado para não correr o risco de colocar a vida em perigo.


Tem tudo a ver! O ser humano está chegando nessa fase crítica de amadurecimento. A humanidade inteira está de castigo dentro de casa, para aprender a cuidar melhor do meio ambiente, da sua relação com a natureza, com os outros e principalmente, aprender a cuidar de si mesmo. Cuidar de si para cuidar do outro. E se todos fizerem isso, cada um está cuidando de todos.

Gêmeos é um signo relacional. Sofre com as intempéries do meio, em função da relação e do modo como o meio reage ou não à sua presença. A ânsia de interagir com o meio à volta o expõe ao feedback que o entorno lhe dá, ou não, de si. Por vezes não se sente aceito, entendido ou reconhecido, e os olhos como adolescentes ainda se enchem de lágrimas: adolescem.

Vem daí, dessa excessiva sensibilidade ao meio, quase suscetibilidade, também o temperamento rebelde do pré-adolescente revolto em suas descobertas. São as rebeliões infantis que no adulto beiram a histeria e ataque de nervos. A civilização está à beira de um ataque de nervos, diante desta crise sem precedentes que assola a humanidade. Em muitos casos há surtos de histerias.

A epidemia diz respeito a isto, e interfere diretamente nas dinâmicas das relações interpessoais humanas, em todas as esferas, econômica, política e social. Espiritual. Desenvolve-se primordialmente nos grandes conglomerados humanos, o ser humano é o seu principal vetor. Os Gêmeos estão sempre juntos, em contato íntimo, tão próximos que se espelham, se refletem, mas ao mesmo tempo não se percebem. É a face simbólica mais visível do contágio invisível. Você não se percebe vetor de contágio, com um pré-adolescente não percebe o perigos que está correndo ao ir ali na esquina. Todas as relações de trocas imediatas, de tempo, espaço e de contato com o outro, com o meio ambiente, estão sendo revistas, durante essa passagem de Vênus por Gêmeos. A pausa nas atividades produtivas promoveram a desaceleração do tempo, o tempo andava muito acelerado... ao mesmo tempo que a a percepção da presença do perigo eleva o sentido de urgência de ações emergenciais a um nível, ritmo e velocidade, jamais visto na comunidade humana. Os recordes do mundo chegaram ao seu limite, por isso as Olimpíadas foram adiados. Nem os deuses e semideuses humanos estão aptos para competir nessa hora. Isolados, todos aprendem novas formas de comunicação e de trocas, que estão se desenvolvendo a toque de caixa. As pessoas estão tendo que aprender na marra a falar digital, a ler digital, a deixar a sua marca digital neste processo de passagem do local para o global, em um curto espaço de tempo, para um outro nível de inter-relações pessoais. E aprendendo a valorizar os pequenos serviços e afazeres diários: E isso é TOTAL qualidade de Gêmeos. Não sei se é melhor ou não, mas o virtual é real. A exaustão física provocada por excessos de derivações e demandas mentais, por novos aprendizados, também geram preocupações e pensamentos inúteis. Gêmeos é facilmente cooptado pelas mídias sociais e pelas informações de superfície que se propagam rapidamente. Ávido de contato e de curtidas, muitas vezes as "fake news" fazem parte do aprendizado ainda sem muitas distinções. É preciso também aprender a fazer distinções. Separar o verdadeiro do falso, a opinião do verossímil, as falácias dos argumentos sérios. Gêmeos não é a mente madura, expandida, filosófica do sábio da fase do final do outono da vida do signo de Sagitário. É justamente o oposto. É a fase da experimentação juvenil, pueril, Peter Pan, do arroubo da imortalidade. Sim, São dois Gêmeos – Castor e Pólux – um é mortal e outro imortal. Talvez venha daí a sensação de imortalidade juvenil. Há um "quê" de imortalidade em cada um, com a sensação de que não vai morrer nunca, e assim é que se tornam invencíveis. Como se o irmão imortal instigasse o outro mortal a experimentar. Todo jovem tem um pouco dessa sensação de poder experimentar sua imortalidade, de ir para a rua, desafiar a vida: - “Não, isso não vai acontecer comigo”, repetem sem a consciência de sua mortalidade e às vezes nem veem o perigo que caminha ao lado. A morte ocorre aos demais, e não percebem quão indefesos estão diante das fatalidades. Não se preocupam consigo, e as vezes isto pode ser visto no próprio descuido e desse modo, tomados de invencíveis, dão preocupação aos outros, aos mais velhos, aos pais. Geram problemas, não para eles, mas para o demais. Mas faz parte.

Todos têm algo de Gêmeos em si e são acometidos por essa síndrome de imortalidade que coloca a vida de outros em perigo, e não estão nem ai. Quando são assim infantis, como crianças grandes, podem ser inconscientemente inconsequentes, irresponsáveis, e displicentes no que diz respeito à saúde, na cotidianidade. E quando são confrontadas levantam a bandeira do rebeldia e da liberdade. Confundem liberdade com fazer o que bem entendem, mesmo se não entendem bem o que e o porque estão fazendo. Isto porque os valores essenciais ainda estão confusos, não tão bem formados, estruturados, de tal forma que as ações são prioritariamente movidas pelo desejo, pela emoção de onde deriva a importância do trânsito de Vênus em Gêmeos: é o aprendizado de novos valores, valores essenciais à vida, valores humanos.

É bom saber tratar da pandemia como se trata o Gêmeos, e por favor, não tem nada a ver com o fato de você ser ou não do signo de signo de Gêmeos. Estou me referindo às qualidades dessa fase em que a humanidade está atravessando. E será uma longa travessia para muitos. A travessia de um lugar/estado atual, de muitas incertezas e apreensões, para um lugar estado de maior potência de viver, ancorado em valores de solidariedade, compaixão, cooperação, cuidado mútuo, respeito às diferenças. É possívelm por que não? É só mudar! Não mais fazer como adolescente rebelde que sabe que fumar faze mal, e mesmo assim fuma. é lógico que as consequências são catástrofes pulmonares.

Pausa.

A área de choque de Gêmeos são os pulmões. Aliás, os pulmões são as árvores internas do corpo por onde nos mantemos ligados uns aos outros, e ao meio. Fazem dentro de nosso corpo o papel de troca metabólica de oxigênio e gás carbônico. O mesmo, e ao contrário, que as árvores fazem lá fora. As árvores são os nossos pulmões na natureza.

É inevitável fazer uma analogia entre o sofrimento dos seres vivos das florestas, em particular da Floresta Amazônica, os pulmões do planeta Terra, que vem sendo incinerada, a despeito dos seres que nela habitam, e uma pandemia que afeta primordial e fatalmente os pulmões de quem é contaminado. Os pulmões são a casa da tristeza. A humanidade está triste, as pessoas estão tristes e sofrendo da síndrome pulmonar. O sintoma mais grave da doença COVID19 é a morte asfixiada por fibrose pulmonar. O signo de Gêmeos tradicionalmente rege os pulmões, as vias respiratórias, as áreas de contato, braços, as mãos que se comunicam, gesticulam, se expressam e falam! Sim, a natureza nos fala.

Como profilaxia da propagação da doença, todos estão impedidos, conscientemente de se tocarem, de tocar nas coisas, de se abraçarem, de dar beijinhos, falar ao pé de ouvido.

É pelo ar, pela boca, pelas narinas, que todos fazem o contato entre seres. Compartilhamos o nosso mundo interior com todos os demais. Respiramos o mesmo ar. O mesmo ar que entre em meus pulmões passam pelo seu também. O ar nos coloca em comunhão uns com os outros. Respirar é a primeira coisa que se faz quando nasce, e a última é exalar. Dizem que nesta primeira inspiração ligamos a alma individual com a “alma esférica do planeta” com a atmosfera desse tempo, com o meio ambiente à volta, e com a alma de quem nos acolhe, daqueles pais, família, comunidade: “todo ser humano quando nasce traz uma porção infinitesimal do céu à Terra” expressa as qualidades de seu tempo.

Cuidados preventivos: para enfrentar esta pandemia que vem na qualidade deste tempo, é preciso cuidar como se cuida da coisa geminiana. É preciso tratar de modo muito sério, como se tratam as crianças que são completamente inconsequentes em relação à saúde:

  • Tomar ar fresco – respirar conscientemente – inspira, pausa, exala o ar – pausa, entre na pausa. Faça momentos de respiração assistida, observando o ritmo, acalma a mente. É preciso aumentar a capacidade respiratória com exercícios de Yoga, Pranayama, Pilates, aeróbicas, enfim, o que estiver ao seu alcance.

  • Se quer uma receita: tome ar, fresco 3x ao dia – pelo menos 10 profundas respirações, sempre manter o ambiente aberto e arejado. Se estiver gripado, com nariz entupido, faça inalações com vapor quente de água, daquele jeito mesmo que sua avó ensinava. Isto irá prover inúmeros benefícios.

  • E se tiver concentração pode ao inspirar mentalizar que está bebendo em fontes de energias puras, de saúde e de vitalidade. E ao exalar pensa: = estou eliminado, jogando fora, me livrando tudo o que não presta, tudo aquilo que é desnecessário, inútil, danoso e prejudicial à saúde. Imagine sempre seus pulmões limpos como árvores de folhas verdejantes que reluzem com a luz do Sol. Seus pulmões são os condutores de vida, de ar puro para todo seu organismo.

  • Se puder faça seus exercícios de yoga, pilates, respiratórios com frequência, até se tornar um hábito. Então começa aperceber que algo está mudando essencialmente em você. Por que quando você está a fazer o que não fazia antes é porque realmente alguma coisa mudou, e foi a gente que mudou! Essa é a verdadeira Grande Mutação, a mudança de cada um, em vários outros diferentes aspectos.

  • Faça sua rotina por prioridades, desde as lições de casa, até ter horários para as coisas regulares, como alimentação saudável, leve e frugal. Se alimentar como se alimenta uma criança – e principalmente dormir bem, o suficiente. O sono é restaurador da energia vital.

  • E para a mente que não despluga, este é um grande desafio, ainda mais numa época de tanta informação. É como tirar uma criança de um jogo de vídeo game... Gêmeos se nutre da informação. E se são notícias nocivas, a nutrição da mente estará irremediavelmente deteriorada, contaminada, dificultando tomar decisões, do mesmo modo que se consome alimento estragado é indigesto: então é preciso selecionar as informações. Ter um distanciamento saudável. Um desafastamento. Não se identificar demasiadamente com os fatos reportados, com os cenários aterradores e indutores de estados negativos, tóxicos.

As doenças ligadas às áreas sensíveis de Gêmeos são as afecções como asma, bronquites, pneumonia, resfriados, até tuberculose, enfisema pulmonar, sinusites e dizem respeito à sensibilidade do ser humano ao meio, seja seu sentimento de opressão com a falta de ar, de impotência da alergia respiratória ao clima que está vivendo à volta, ou porque não consegue mais respirar aquele "ar viciado" da ambiência imediata, à volta, enfim, todo tipo de desordem respiratórias tem a ver com o ar mutável de Gêmeos e é muito comum como as doenças da mudança das estações. Gêmeos é um signo passagem entre estações. Doenças de comportamento ligados às dificuldades de adaptação, Gêmeos é um signo mutável, adaptável. Quando não está conseguindo se adaptar ao “clima” de uma nova realidade, adoece, em vários níveis diferentes.

Eu me lembro de uma aula com o astrólogo suíço Bruno Huber, ainda em 88 num seminário em Campinas, em que falava das qualidades de Mercúrio e de sua regência sobre o signo de Gêmeos, as duas crianças do Zodíaco – ele se referia às qualidades de um aspecto de 30 graus (semisextil) entre os planetas como a distância saudável e necessária de "um metro e meio para uma boa troca de informação". Como é curioso ver que as pessoas no isolamento estão sendo levadas a perceberem que a distância "mercurial" - de um metro e meio - uma das outras, é uma distância mínima, necessária e saudável que permite uma boa troca de informações.


O tipo de energia nervosa, inquieta das mentes abertas para o aprendizado, curiosas e super interessadas em tudo, tem a ver com Gêmeos, as crianças do zodíaco que aprendem experimentando tudo, jogando, brincando com a energia arquetípica da ludicidade. Mas já saídos da fase oral de colocar tudo na boca. É a fase de aprender todas as linguagens, ler os sinais e perguntar sobre tudo – é a exploração do novo mundo lá de fora. E muitos milhões já estão aprendendo a ler os sinais nas estrelas. Os trânsitos que estão no céu deste tempo, em relação aos acontecimentos na Terra são um livro de aprendizado sem igual. Nunca se teve tanta literalidade para ler as estrelas, para quem estuda astrologia, sinceramente cada dia é uma aula a céu aberto. Mas ainda todos estamos como criança a aprender a ler as horas.

Nesta fase pré-adolescente, as descobertas e fascinações só aumentam. A atração para o mundo além do muros de casa, a saído pelos portão e irresistível. Cenários se descortinam na imaginação infantil que se misturam com as fantasias e realidades. Começam as sinapses com o mundo exterior e com a natureza.

Querem saber de tudo um pouco, levadas a investigar, a experimentar de tudo, às vezes de uma forma ingênua, indefesa e até mesmo irresponsável. O aparelho sócio cognitivo ainda está sendo definitivamente formado e com ele o elenco de valores, Vênus em Gêmeos - comecemos pelo elenco de valores - assim como as primeiras distinções de certo e errado, de gosto não gosto, de pode não pode, de tira a mão daí, vai lavar as mãos antes de comer, não anda de pé no chão, coloca camisa para sair na friagem, escova os dentes antes de dormir, os hábitos de higiene e de convívio social, a exploração do meio, muitas vezes é hostil para o menino - a menina, mas faz parte do aprendizado necessário para o resto da vida, é inevitável colocar a cara a tapa na rua, para aprender, às vezes apanhando da vida, dos colegas e abusadores de plantão.

Podemos continuar conversando.

São apenas algumas reflexões para a quarentena.

Não poderia deixar de compartilhar com vocês.

Quer saber mais? Venha PARTICIPAR! Vamos acompanhar o céu de abril e maio no Curso Online, preparações para a Grande Mutação: Vênus e a Medicina do Céu - a geometria sagrada no seu mapa. www.oficinadeastrocoaching.com/venus







236 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Rio de Janeiro: Rua Cosme Velho 
São Paulo: Hotel Mercure, Av. Funchal 111
Telefone: +21 999138585  
Astro*Coaching - CFP 119.893.307-03
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle